Judeus sul-africanos celebram a primeira condenação criminal por antissemitismo online

Judeus sul-africanos celebraram uma condenação criminal sem precedentes, proferida por postagens antissemitas no Twitter.

O Tribunal de Magistrados de Randburg considerou Matome Letsoalo culpado de crime de injúria – um crime previsto por “prejudicar de forma ilegal e intencionalmente a dignidade ou privacidade de outra pessoa” – por dois tuítes dirigidos ao Conselho Judaico da África do Sul.

“Este foi o primeiro veredicto criminal em um caso de antissemitismo na África do Sul”, informou o grupo.

Em junho de 2018, Letsoalo tuitou: “@SAJBD O #Holocausto será como um piquenique quando terminarmos com todos vocês, bastardos sionistas; Fuck All Of You”, junto com imagens de vítimas do Holocausto e uma suástica.

Em um segundo tuíte, Letsoalo – um jovem de cerca de 20 anos de Polokwane, no norte do país – escreveu que o SAJBD “deve ser dizimado”. “Não podemos ter ratos escandinavos, judeus falsos, bastardos sionistas administrando nossa economia”.

“Este resultado envia uma forte mensagem de que ataques ameaçadores e cheios de ódio à nossa comunidade não serão tolerados e que o SAJBD fará tudo o que for necessário para levar os responsáveis à justiça, não importa quanto tempo isso leve”, disse a presidente do grupo, Wendy Kahn.

“Estamos muito satisfeitos com o desfecho deste caso, pois é a primeira vez que vemos um caso de antissemitismo ser considerado um crime”. Este é um precedente importante em termos de eventuais casos futuros de antissemitismo, incluindo outros assuntos que temos atualmente nos tribunais”, acrescentou ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo *