Startup israelense inova no diagnóstico doenças psiquiátricas

Montfort (Mon4t), uma startup médica com sede em Israel especializada em distúrbios neurológicos, anunciou uma nova plataforma para ajudar a diagnosticar e tratar distúrbios psiquiátricos.

Ela usa tecnologia de smartphone e inteligência artificial para conduzir monitoramento cerebral remoto e testes neurológicos digitais aprovados pela FDA para pacientes com doença de Parkinson, doença de Huntington e outras condições.

A plataforma é baseada no Brain Profiler, um novo método científico que examina os transtornos mentais como distúrbios cerebrais, que podem ser diagnosticados de forma clínica. Este novo campo visa conectar a psiquiatria clássica com a neurociência computacional.

“A psiquiatria como área médica está enfrentando um grande desafio: o diagnóstico psiquiátrico de hoje é baseado em uma abordagem descritiva, baseando-se apenas na descrição do paciente de seus sintomas e na observação dos médicos desse paciente”, afirmou Abraham Peled, presidente do departamento de psiquiatria Departamento do Hospital Psiquiátrico Shaar Menashe, professor do Technion, Instituto de Tecnologia de Israel e o desenvolvedor do método Brain Profiler.

Outras áreas médicas, no entanto, diagnosticam doenças por meio dos sintomas que aparecem em locais específicos do corpo. “Por exemplo, apendicite é a infecção (a patologia) de um órgão do corpo, o apêndice. Um diagnóstico psiquiátrico como ‘depressão’ não se correlaciona com um órgão específico do corpo, nem define qualquer patologia”, disse Peled.

Os psiquiatras, portanto, têm que tomar decisões clínicas sobre os pacientes com base em dados subjetivos e não quantitativos, que são coletados em visitas clínicas curtas que não refletem necessariamente totalmente a vida diária real do paciente. Isso limita sua capacidade de tratar os pacientes de forma otimizada, disse a empresa.

A nova plataforma é baseada na solução EncephaLog anterior da Montfort, atualmente sendo usada em todo o mundo em colaboração com um grande número de hospitais, corporações médicas e instituições de pesquisa, incluindo o Henry Ford Health System nos EUA e o hospital Queen Mary em Hong Kong.

EncephaLog é um aplicativo que permite monitorar sintomas motores, cognitivos e psiquiátricos por meio de sensores de smartphones: ele mede as reações motoras dos pacientes e faz testes cognitivos, de memória e afetivos de sentimentos e emoções ao fazê-los responder a comandos na tela.

Com IA e aprendizado de máquina, os dados são coletados para gerar biomarcadores digitais, que podem ser revisados e analisados por profissionais em um portal online. A nova versão expande a plataforma original da Montfort e reúne uma coleção abrangente de uma gama mais ampla de indicadores, como quanta interação social o paciente teve, quão ativo ele tem sido e avaliações psiquiátricas que podem ser realizadas por conta própria – aumentando o banco de dados e fornecendo as análises necessárias para um diagnóstico mais preciso e abrangente.

Essas informações, complementares a quaisquer dados clínicos coletados por um psiquiatra, podem então ser usadas em modelos de IA para prever distúrbios de conectividade do cérebro que podem ajudar a explicar um distúrbio.

Ziv Yekutieli (foto), CEO e co-fundador da empresa, disse que as ferramentas da Montfort são aplicáveis em uma variedade de transtornos psiquiátricos, oferecendo aos psiquiatras um kit de ferramentas de testes que eles podem aplicar aos pacientes. Um psiquiatra que está tratando alguém com esquizofrenia, por exemplo, pode escolher os marcadores digitais certos no kit de ferramentas – métricas que podem ser diferentes das de alguém com doença de Parkinson.

Para Montfort, a ideia é “monitoramento remoto de pacientes”, o que foi especialmente importante durante a pandemia, disse Yekutieli. “Queremos eliminar a necessidade de reuniões presenciais”. O futuro da neurologia está mudando nessa direção, que ele acredita ser essencial para o tratamento adequado.

Yekutieli acrescentou que, embora outras empresas ofereçam testes remotos, ele acredita que a Montfort oferece a oportunidade mais completa de trabalhar com distúrbios cerebrais.

“Até onde sabemos, pelo menos até agora, oferecemos a mais ampla cobertura de teste em termos de avaliação motora, avaliação cognitiva e marcadores digitais afetivos ou relacionados ao humor”, disse ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo *