Ucrânia abrigará o maior memorial do Holocausto do mundo

O Centro Memorial do Holocausto Babyn Yar anunciou planos para a construção do maior memorial do Holocausto do mundo, com 12 prédios distribuídos em 370 acres na fenda de Kiev, onde mais de 100.000 pessoas, a maioria judeus, foram assassinadas durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 29 e 30 de setembro de 1941, nazistas alemães e colaboradores ucranianos assassinaram 33.771 judeus na chamada “Ravina da Avó”, na periferia da capital da Ucrânia. Outras 70.000 pessoas foram assassinadas em Babyn Yar durante os três anos seguintes, incluindo judeus, membros da resistência ucraniana, ciganos e deficientes físicos.

“Atualmente, há muitas pessoas que não sabem o que aconteceu nesse local”, disse o diretor artístico da BYHMC, Ilya Khrzhanovsky. “Se você visitar Babyn Yar hoje, verá famílias relaxando e se divertindo no local, como se ali fosse um parque normal”.

Referindo-se a Babyn Yar como “a maior vala comum da Europa”, o centro memorial disse que “o novo complexo do museu transformará a área de um lugar de terror e matança em um lugar de paz e tranquilidade”.

A título de comparação, o campus Yad Vashem de Israel tem cerca de um oitavo do tamanho do complexo planejado para Kiev.

O novo memorial fará homenagem ao 1,5 milhão de judeus que foram assassinados na Ucrânia e na Europa Oriental. Durante a fase inicial do genocídio nazista, unidades alemãs (“Einsatzgruppen”) fizeram parceria com colaboradores locais para assassinar judeus perto de onde viviam.

Além dos vários prédios, o museu abrigará uma estrutura com os nomes das vítimas e um “centro religioso/espiritual” completo com sinagoga, igreja e mesquita. Haverá também centros de pesquisa e de educação no local.

O presidente do conselho supervisor da entidade, é Natan Sharansky, ícone israelense dos direitos humanos. Tendo crescido na Ucrânia da era soviética, Sharansky afirmou: “O conceito apresentado é muito interessante e surpreendente. Isso demonstra como o museu e o centro educacional não apenas serão de alta qualidade, mas, ao mesmo tempo, diferentes de muitos outros centros do Holocausto. Como tal, ajudará a preencher um vazio no campo dos estudos do Holocausto”.

Os designers do memorial estão planejando 15 locais temáticos relacionados ao local onde o massacre ocorreu. Os pontos serão conectados por um caminho sinuoso que evoca a antiga topografia do sistema de fendas do local.

“Quando você visita Babyn Yar, os pontos mais atraentes são de onde você pode realmente ver as fendas, muito semelhantes àquelas onde ocorreram os massacres e que foram preenchidas (com resíduos industriais) durante a era soviética”, disse Khrzhanovsky. “Usando a geografia e topografia da área, seremos capazes de criar uma atmosfera física e emocional para os visitantes”.

O massacre nazista de 1941 na ravina foi o primeiro ao ar livre realizado em uma capital europeia. Milhares de ucranianos observaram as vítimas sendo conduzidas para a ravina ou participaram do massacre como guardas, motoristas, cozinheiros, faxineiros e em outras funções, conforme documentado pelo padre Patrick Desbois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo *