Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Nota de repúdio à reportagem de capa da Revista IstoÉ

Nota de repúdio à reportagem de capa da Revista IstoE

André Lajst, diretor executivo da StandWithUs Brasil: Como instituição educacional que combate o antissemitismo e antissionismo, a StandWithUs Brasil se posiciona com repúdio à matéria de capa da Revista Istoé desta semana. A reportagem compara Fábio Wajngarten, secretário da Comunicação Social da Presidência da República (Secom), ao chefe da propaganda nazista, Joseph Goebbels, responsável pela campanha massiva de desumanização de parte da população, como judeus, negros, homossexuais e ciganos, na Alemanha e em países invadidos durante a Segunda Guerra Mundial.

A irresponsável comparação, como apontado pela Federação Israelita de São Paulo (Fisesp), banaliza um episódio triste da história da humanidade. Para além disso, o texto faz uma conexão entre Wajngarten e seu suposto poder de manipulação ao fato de o secretário fazer parte da comunidade judaica. Ele é ilustrado, na capa do semanário, como um titereiro, justamente o estereótipo de manipulador de fantoches (e da mídia) reservado aos judeus em charges nazistas.

Como um veículo da imprensa livre brasileira, logo parte de um dos pilares de nossa democracia, a Revista Istoé tem o papel de investigar e divulgar suas apurações sobre temas relevantes para a sociedade. Não deveria, no entanto, jamais sujar sua função, disseminando estereótipos racistas, constrangendo uma minoria da população brasileira e banalizando o Nazismo.

Destacamos que a reportagem faz questão de citar quem é judeu entre vários nomes da rede de contatos do secretário, composta também por não judeus. Tal escolha não tem valor informativo, mas apenas serve para propagar o antissemitismo. Urge que a Revista Istoé se conscientize do perigo que suas palavras representam e venha a público retratar-se pelo erro inaceitável. A estereotipização de comunidades judaicas em diferentes países e épocas tem servido apenas para provocar a perseguição e a violência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[yuzo_related]

Rolar para cima