Obra revela a saga das primeiras comunidades judaicas das Américas

Chegou às livrarias brasileiras a obra “Arrancados da terra” (editora Companhia das Letras), de Lira Neto, que retrata a travessia de judeus que montaram as primeiras comunidades judaicas das Américas, entre elas em Recife. Além disso, explica como estes pioneiros ajudaram a construir Nova York.

Segundo o autor, em setembro de 1654, cerca de 23 refugiados desembarcaram em Nova Amsterdam — colônia holandesa na costa oriental da América do Norte. A jornada dos sobreviventes — entre eles crianças — teria começado meses antes nas praias pernambucanas.

Conforme aponta Neto, essas pessoas estavam famintas e exaustas, fugindo da Inquisição, que na época as perseguiam, após a vitória luso-brasileira durante a guerra contra a ocupação holandesa no Nordeste do país.

Diante deste cenário, os judeus migraram para os EUA, onde se instalaram na ilha de Manhattan. No novo lar enfrentaram inúmeras dificuldades e privações. No entanto, foram essenciais para a construção de Nova York.

A partir de uma trilha de religiosos, intelectuais, lavradores e mascates quase anônimos, o autor reconstitui a ilustre saga dos pioneiros que fundaram as primeiras comunidades judaicas das Américas.

“Uma narrativa fluente e erudita que resgata da ignorância de quase todos e do esquecimento de uns poucos a saga seiscentista do grupo de judeus de origem portuguesa que singrou de Amsterdam ao Recife e de lá à futura Nova York, abraçando os dois Atlânticos”, disse Evaldo Cabral de Mello.

Por meio de linguagem acessível e emocionante, o autor conduz o leitor a uma narrativa colorida da ocupação holandesa no Nordeste. Já com uma prosa fluida e com rigor histórico, o escritor atrela biografias de personagens envolventes à crônica de grandes acontecimentos que moldaram o desenvolvimento das Américas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo *