Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Rabino fará parte da votação do “Oscar”

rabino_Oscarxx



Duas vezes vencedor do “Oscar” e membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas há quase 40 anos, o rabino Marvin Hier será um dos 8 mil votantes no concurso deste ano. “Todos os membros da academia deveriam assistir aos filmes do começo ao fim. Não é justo assistir por cinco minutos”. Já que possui uma idade avançada, ele teve que se limitar a duas categorias: os documentários e filmes principais. “Há muitos filmes ótimos com assuntos de fora dos EUA. Houve dois ou três que foram realmente notáveis – falando sobre questões globais. Foi uma mudança em relação aos anos anteriores.”

Hier cresceu no Lower East Side e nunca sonhou com a vida que levaria, enraizado na elite do poder de Hollywood. Mas alguns encontros importantes no final dos anos 1970, quando ele ajudou a fundar o Simon Wiesenthal Center, o colocaram nesse caminho. “Tivemos a história do Holocausto apresentada em um projetor de slides – tínhamos cerca de 24 slides alinhados e os visitantes não podiam andar na frente deles”, lembra Hier.

Uma mulher implorou ao rabino que abandonasse a configuração do projetor e disse: “Se você quer contar a história do Holocausto, por que você não faz um filme?” Ela era Fay Kanin, presidente da Academia de Artes e Cientistas de Cinema. E o filme se tornou “Genocide”, de 1981, sobre o Holocausto, narrado por Elizabeth Taylor e Orson Welles e que ganhou o “Oscar” de melhor documentário.

Hier fundou a Moriah Films, a divisão cinematográfica do Simon Wiesenthal Center, que também produziu o documentário “The Long Way Home”, de 1997, narrado por Morgan Freeman, sobre refugiados judeus que foram para Israel após o Holocausto. Seu mais recente e 16º filme, “Never Stop Dreaming: A Vida e Legado de Shimon Peres”, dirigido por Richard Trank, será lançado ainda este ano. E também estão trabalhando em um documentário ainda sem título sobre David Ben-Gurion.

Mas Hier atribui grande parte do sucesso do centro a um telefonema que recebeu no final dos anos 1970 de Mickey Rudin – o advogado de Frank Sinatra. Rudin disse a Hier para esperar em seu escritório que o lendário cantor contasse que iria apoiar o centro. “Sinatra ligou e ele não poderia ter sido mais legal”, Hier lembrou. “Ele me convidou para sua casa em Palm Springs… ele nos apresentou a todos em Hollywood. Ele se tornou um membro do nosso Conselho de Administração e um generoso defensor do Simon Wiesenthal Center”.

Hoje, o Conselho de Administração do Centro inclui Jim Gianopulos, presidente e CEO da Paramount Pictures; Jeffrey Katzenberg, ex-presidente da Disney e co-fundador da Dreamworks; Ron Meyer, vice-presidente da NBCUniversal, e Sid Sheinberg, ex-presidente da Universal Studios. Os filmes do Centro foram narrados por George Clooney, Sandra Bullock, Nicole Kidman, Michael Douglas, Patrick Stewart e muitos outros.

[yuzo_related]

Rolar para cima